quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Arqueologia uma reflexão necessária - o balanço dos balanços

Castro de Ul. Maio 2008. E dois oliveirenses curiosos.. um por minha causa ;)



Bem.. como já tinha dito, para encerrar os comentários às conferências, só faltava manifestar-me sobre a globalidade das ditas cujas..

Assim sendo, acho que foi uma iniciativa muito bem sucedida, e obviamente devia ser para repetir, porque cheira-me que as reflexões em arqueologia são sempre necessárias.. ;)

Portanto, os parabéns à organização que se esforçou para concretizar as ditas cujas e trazer mais debate a esta ciência que é a arqueologia (sim, pq a arqueologia é mesmo uma ciência..)

Para além dos temas debatidos e da reflexão ser sobre este tema que já de si me diz muita coisa.. tb existe o facto deste ciclo se ter passado em Azeméis.. E sim, isso deixa-me muito mais satisfeita..

Normal, todos nós gostamos de ver acontecimentos interessantes nas nossas terrinhas..

E logo eu, que nunca tal coisa houvera visto por aqui.. ;)

Entretanto, quanto às três sessões e os diferentes temas aí tratados, não me resta muito para além do que já fui referindo.. Umas apresentações mais objectivas, outras menos.. ;) a versão do "de tudo um pouco"..

Como vê pelos meus comentários.. talvez possa destacar a sessão II, do ensino porque é essa a minha realidade.. não sei bem por quanto tempo, mas é..

Entretanto, a sessão das autarquias, a I, porque sempre foi o universo da arqueologia em que eu dizia que gostava de vir a trabalhar, por muitos motivos, mas não nos moldes que lhes são impostos hoje.. "a tutela demitiu-se" e a arqueologia, foi juntamente com outras coisas, descarregada para as autarquias.. enfim..

Finalmente, a sessão III, dos museus.. Porque um arqueologo não é só um sr que descobre túmulos e faz buracos.. ou um sr que escreve histórias sobre sítios.. é preciso ter em conta o depois disso tudo e como lidar com o que dai resultou.. uma coisa bem mais complicada do que aquilo que parece..

Portanto, nada de negativo a declarar em relação directa com as ditas cujas..

Agora.. acho lamentável a pouca cobertura (a nível de comunicação social local) que foi conferida às conferências.. Não foi por não saberem..

E a pouca curiosidade dos oliveirenses em relação às ditas cujas..

Está bem, à primeira vista veem arqueologia no título e dizem "foge, mais doidos não.." Claro que não se debateu o povoamento da época xpto da região.. Mas os temas não passavam ao lado daquilo que uma pessoa que não arqueologa deve saber..

Bem, só para explicar porque que isto me chateia :)

Há muito boa gente cá na cidade que passa a vida a queixar-se "porque não há iniciativas disto ou daquilo. Porque ninguém liga nada à cultura."

Se calhar liga-se, e as pessoas não sabem, e a culpa é do monumento..

Porque o castro de ossela tá cheio de ervas, é preciso requalificar o sitio.. pois é, mas quando se assinam protocolos com outras entidades que podem vir a ajudar nesta área, ninguém lhes liga nada..



Então, andamos preocupados em tapar buracos por aí, e quando nos lembramos... ai que não sei o que do património..

Parece-me a mim.. que o mundo está perdido..

*

1 comentário:

pom disse...

esta sim senhora, muito perdido