sábado, 5 de julho de 2008

Divagações

Não sei o que se passa comigo.
Só me apetece fugir de tudo e de todos, ir para bem longe daqui, começar uma nova vida algures.
Por muitos amigos que tenha, sinto-me cada vez mais sozinho.
A solidão começa a alastrar de novo pelo meu pensamento.
Falta-me aquela pessoa essencial, a chamada alma gémea, a cara metade, ou outro nome qualquer que lhe queiram chamar.
Será tão difícil encontrar essa pessoa? Ou será que já passei por ela e não a vi?
No meio de tanta gente, é como encontrar uma agulha no palheiro, é fácil desencontrar.
Ou será que saberei que é ela no momento em que a vir?
Mas já me enganei tantas vezes...
O coração é muito traiçoeiro, faz-nos pensar coisas que não devia.
Leva-nos a fazer as coisas mais parvas que não faríamos de perfeito juízo, coisas que talvez muita gente se arrepende.
Mas se não as fizermos nunca saberemos o que irá acontecer.
Falando por mim, não me arrependo de nada do que fiz.
Aprendi com os erros e tornei-me uma pessoa melhor, embora talvez um pouco "medrosa" em relação a expôr o que sinto.
Mas se pudesse voltar atrás no tempo, certamente que algumas coisas faria de maneira diferente, para não sofrer tanto como já sofri.
A vida é assim, prega-nos muitas partidas.
E faz-nos desesperar, por vezes.
Já pensei em tanta merda... Felizmente ainda tenho alguma serenidade para não fazer alguma coisa estúpida de que não houvesse retorno.
Só que se torna difícil, com o passar do tempo e a vida sempre na mesma.
Tento ser aquele amigo que está sempre lá, para tudo o que seja preciso, embora às vezes a paciência não seja muita. E certas pessoas abusam um bocado da minha boa vontade.
Temos de saber dizer não na altura certa. Ou simplesmente ignorar, para as pessoas perceberem a mensagem.
Se há coisa que eu detesto, é ser usado. E que só se lembrem de mim quando precisam de algum favor.
Sei que por vezes passo dias sem falar com certas pessoas, mas elas sabem que não é por mal e que lá no fundo as adoro. Simplesmente o tempo não dá para tudo e as circunstâncias da vida separam.nos um bocado.
As pessoas envelhecem, têm outros objectivos e não se pode prestar atenção a toda a gente.


(uma pausa para ler a mensagem da Sarinha)

Sarinha, obrigado por me aturares estes anos todos.
Mesmo sem nos conhecermos pessoalmente, és aquela amiga com A grande, em quem confio plenamente.
Desculpa qualquer coisa e obrigada.
Adoro-te.


Continuando...

A vida não é fácil...
Lutamos pelas coisas e nem sempre as conseguimos obter.
Mas não podemos desisitir.
Eu não desisto.
Luto e continuarei a lutar pela minha felicidade, contra tudo e contra todos.
Por muito sozinho que me sinta, por muito em baixo que esteja, sei que tenho amigos que estão lá para me levantar, para me dar força, uma palavra de incentivo.
O amor é importante, mas a amizade também.
Sem amigos não seríamos nada.
Para todos os meus amigos, um muito obrigado por existirem na minha vida.

E já passa da meia noite, ou seja, é o meu dia de aniversário =)
Sim, a mensagem da Sarinha era a dar os parabéns.
Ela foi a primeira =$

Desculpem lá o testamento...

Beijinhos e abraços e parabéns para mim


PS: são 27, pa quem não sabe

2 comentários:

Sara Almeida Silva disse...

Parabéns.. obrigas-te me a mudar o meu discurso de aniversário que diz: "blá blá a idade já pesa; estás a ficar velho".. Mesmo antes disto aparecer, escrevi eu uma sms (as 23.21 prai) que totalmente responde a isto..
perdemos sempre muitos comboios, eles passam, não sabemos se é o certo, o errado.. se entrarmos, se nos enganarmos.. podemos sair na próxima estação? ficaremos demasiado presos? colados num lugar? isolados? não sei.. mas..cheira me que nao se perde nada em saltar para o 1o comboio..
"há vitórias e derrotas, apontadas em silêncio, no diário imaginário, onde empilhamos as razões, para lutar".. (ok, estou poética, metafórica e palmaniaca.. mas..) vamos enganar o tempo.. para que fazer projectos, quando sai tudo ao contrário? pode ser que por milagre troquemos as voltas aos deuses..
Arriscar, não arriscar?
Viver? Sobreviver?
As escolhas são nossas.. são dificeis.. mas.. "é nestas alturas .. que se percebe a falta que nos faz um amigo"..
Claro que tudo na vida é importante, claro que se nos falta uma coisa nos sentimos incompletos, num mundo perdido, distante, frio.. Temos medo, ficamos assustados.. é tudo sinistro, as decisões dificeis são nossas e só nossas.. mas correr riscos é fixe! (nada de usar isto contra mim no futuro) juízo, pro ano "quero o meu discurso de volta!" * juízo *

dani baiona disse...

Há alturas na vida
Em que se sente o pior
Como que uma saída
Refúgio na dor

E ao olhar para trás
Pensar no que aconteceu
O que se vê não apraz
Não gritou mas escondeu

E salta a fúria em nós
Rebenta o ser mais calado
Querer puxar pela voz
Mostrar que está revoltado

À espera o tempo a passar
A desesperar
Ganhar a coragem de gritar e gritar

E é nestas alturas
Sou eu mesmo que o digo
Repensamos na falta
Que nos faz um amigo

Alguém que nos mostre a luz
E nos estenda essa mão
Diga que a vida não é cruz
Olhar para trás pedir perdão

E salta a fúria em nós
Rebenta o ser mais calado
Querer puxar pela voz
Mostrar que está revoltado

À espera o tempo a passar
A desesperar
Ganhar a a coragem de gritar e gritar....



(Sara tb conheço "grito" lol)




todos temos deste momentos em que nada parece ter sentido e k ha sempre um vazio!!!
mas se a vida fosse completa k piada teria? senao fosse esta incerteza,como conseguiriamos mudar e tentar ser pessoas melhores, por isso ha k aproveitar e viver cada dia como se fosse timo...e tirar o maximo de proveito, pk ha sempre a esperança k o amanha vai ser melhor!!!!
Mas as vezes é inevitavel nao fazer um ponto de situação e acho k é uma maneira para se começar a fazer mudanças...



PARABÉNS!!!!


bj