segunda-feira, 2 de junho de 2008

Música Perdida

Pronto, eu disse, tá cá.. Ninguém arriscou.. e eu fiquei na dúvida..

Não sabia.. entre tantos..
Mas esta e 5 *..


(Como não dá para ler... a letra normal...)

"Eu lembro-me de tocar campainhas

Debaixo de olhares desconfiados de vizinhas

D'ouvir vozinhas, por entre cortinas

De janelas fechadas, a gera toda cá em baixo,

À espera de mais alguém que descesse as escadas.

Percorrer entradas, estradas mal iluminadas,

Baforadas, pelas ruas marcadas

Com tags de marcadores em caixas de electricidade

Num canto poeirento da cidade, que deixa muita saudade

E dá vontade de esquecer, o que se tem pra fazer,

E o que se tem pra ganhar, só pra não se perder

Só para recordar esta gente que sente,

De maneira diferente,o que esta gente sente.

Velha escola, já lá vai um tempo desde então,

E o que são km ou anos de união

A minha mão sempre se dá a quem ma dá a mim

O tempo não apaga sentimentos assim

São recordações, são memórias, são vidas

Ligadas por páginas mesmas, escritas e lidas,

Não sãp fitas, nem filmes, esta merda é real

Um abraço para os que reconhecem este historial.

Esta gente sente, de maneira diferente,

O que esta gente sente.

O que é que sentes sobre a gente que está à tua volta

Sobre o ambiente que rodeia toda a tua vida

Sobre as coisas que tu achas que te fizeram, que te moldaram

Deixaram com histórias pra contar, pra lembrar

Isto faz-me pensar em coisas que não vão mais voltar

Caga pró que dizem, tens é que aproveitar

Foi o que fiz, e sou feliz, porque foi o que quis

Quando chegou a altura certa pus os pontos nos i's

Dono do meu nariz, mesmo por um triz

Directamente da raíz, da memória vivida

D'uma história sentida, do tempo que passou

Do quanto se fechou, enquanto eu estou...

Debaixo de postes em lusc-fusc'arrastar sombras

No chão o pelotão, pelas esquinas a coçar a comichão

Nas costas ninguém fala, à lei da bala

Ninguém chiba, pacto d'honra, jurado até à vala

Luas cheias e chuvas fortes ou tardes de sol

Enfiados em buracos místicos, para saciar a fome

De rimar, juntos estar, conversar,

Ideias trocar, por falar nisso, tá a girar

Mais um pensamento disperso, reminiscente

Em modo reverse, o espírito nostalgico sente

O cansaço dos paralelos calcados, dias gastos

Abraços dados, despedidas tipo letras de fados

Versos trocados, tantos, momentos bons que tenho

Amanhã posso deixar o mundo, de nada m'envergonho

Não é um grupo, nem são amigos, são irmãos,

De mãe diferente, esta gente, a minha gera realmente."

Mind da gap - Esta gente sente


Espero que consigam ler.. :p corri o mundo à procura dela..

Os comentários ficam pra vocês...
*

4 comentários:

Daniela disse...

sarinha da minha vida isto nem de oculos se vai la!!


andas a gozar com os visitantes do blog!!!

vou ja ao do vito loool


XD

mean_machine disse...

correste o mundo e arredores? =P

para a daniela: sim, tens td a razao... ela encanta td a gente

e tu tb me encantaste xD

Anónimo disse...

sarinha ja passam quase tres dias desde a tua ultima postagem , assim nao pode ser ja sao uma visita diaria, ve la se voltas a postar algo sinistro pk ja tenho saudades... XD


para o pedro ou mean_machine: obrigada vou levar isso como elogio....
e ja agora a menina do cinema anda boa? XD

vanessa disse...

mind da gap é foleiro oh sara ahahahah