segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

O Porto, Letras e o Dinheiro

Bem.. parece que já estivemos mais longe do dito colapso das faculdades de letras, nomeadamente da Flup..
Preocupante? ...

Ora, não fugindo à praxe, vamos navegar na questão faculdades - €...
(Diga-se que isto não cai aqui por acaso.. é tudo fruto dumas belas aulas..)

É geral - não há €, as universidades veêm orçamentos reduzidos...
Mas, no Porto, a reitoria não tem €.. e a flup também não..
Portanto, (e não fui eu que o disse) há sempre a possibilidade do nosso ano lectivo chegar a Maio e ficar por ai..
Enquanto em Lisboa o reitor da Universidade se queixa.. A Flup pede € emprestado a engenharia..

Ora.. não tendo a faculdade receitas e não subindo a verba do O.E., a faculdade pode pagar as suas dívidas? Tenho as minhas dúvidas..

Entrentando, os eurinhos que se pedem emprestados têm um v de volta.. isto é, engenharia diz - sim, nós emprestamos, mas vocês devolvem.. Ora.. se devolvermos, voltamos ao mesmo problema..
Também há a hipótese de alegar que o € deles, que eles dizem ser proveniente de receitas extraordinárias, vem do O.E., por outras vias..
Portanto, só lhes pediram que eles fossem generosos e nos oferecessem o dinheirinho.. É normal? Pois, isso já não sei.. Eles esforçam-se, arranjam artimanhas para angariar fundos extra, tem protocolos.. e depois viram Santa Casa da Misericórdia?

A hipotese de alegar que os rendimentos são de indirectamente do O.E., e que por isso, o € também é nosso, parece-me algo deveras forçado..

Não poderia então, a faculdade de letras arranjar mecanismos semelhantes?
Resposta simples, claro que não ;) Flup com protocolos com a Metro? Nunca na vida podia acontecer tal coisa...

Eu gostava de dizer que era só uma questõ de negociação.. não é por ser faculdade de Letras que alguns dos cursos não podem estabelecer acordos e protocolos que aumentem as receitas (nomeadamente a arqueologia)..

Um acto demasiado humilhante para uma Senhora Faculdade?

Também há quem veja nisto uma forma de conduzir as faculdades de letras ao colapso e despejar nas privadas as responsabilidades de leccionar e formar os srºs de letras...

Luis O, do politécnico de Tomar dizia nas conferências que as faculdades não tinham dinheiro porque não o sabiam gerir.. estava toda a gente a fazer tudo ao mesmo tempo, acabando por não fazer nada..

Não estará na hora de abdicar de alguns luxos e partir pra reforma?

Na Assembleia da Républica dizia-se que "vem ai o fantasma do capitalismo".. parece que na Flup se diz "vem ai o fantasma da bancarrota"..

Também se disse no meio de tanta conversa que o financiamento das faculdades era atribuído de acordo com o aproveitamento dos alunos.. se assim for.. para além da questão do ensino pra estatística - we have a problem..

*

4 comentários:

pom disse...

o drama, o horror, o orçamento 2009, ou a falta dele! ahah.
que desgraça

mula disse...

sara isso mesmo eu tou contigo tem mais é k se reclamar. Reclama por nos k isto ta mt mt mau

mean_machine disse...

em x de darem milhoes a banca, deviam dar as universidades... enfim, é o pais k temos

pom disse...

ahahahahah a mula esta viva!